Make your own free website on Tripod.com

                               AVISO PRÉVIO                       FÉRIAS PROPOR-                         13º SALÁRIO                                      MOVIMENTAÇÃO DA
                                                                                            CIONAIS + 1/3                              PROPORCIONAL                                CONTA DO FGTS
                                                                                            (VII)


PEDIDO DE                         SIM, POR PARTE DO           SIM, PARA EMPRE-
DEMISSÃO                        EMPREGADO                      GADOS COM MAIS DE                 SIM (art. 1º, Lei nº 4 090/62                NÃO (art. 20,
                                            (art. 487, CLT)                   UM ANO DE TRABALHO               e En. TST nº 157).                              Lei nº 8.036/90)
                                                                                      (art. 146, § único, CLT)


DISPENSA SEM                 SIM, POR PARTE DO          SIM (art. 146, CLT)                      SIM (art. 1º, Lei nº 4.090/62)               SIM (art. 20, I,
 JUSTA CAUSA                 EMPREGADOR                                                                                                                                    Lei nº 8.036/90)
                                             (art. 487, CLT)


DISPENSA COM               NÃO (art. 487, CLT)            NÃO (art. 146, § único, CLT)        NÃO (art. 3º, Lei nº 4.090/62)             NÃO (art. 20, Lei nº
JUSTA CAUSA                                                                                                                                                                                               8.036/90)


DISPENSA                          SIM (art. 487, § 4º, CLT)     SIM (art. 146 e 483, CLT)             SIM (art. 1º, Lei nº .                             SIM (art. 20, I,
INDIRETA                                                                                                                           4.090/62 c.c. art 483, CLT)                 Lei nº 8.036/90)


APOSENTADORIA             (IV)                                       (VIII)                                             SIM (art. 1º, § 3º, II, Lei n.                   SIM (art. 20, III,
                                                                                                                                              4.090/62 e En. TST nº 3)                    Lei nº 8.036/90)


MORTE DO                        NÃO (art. 487, CLT)               SIM, SALVO SE O EMPRE-          SIM (art. 3º, Lei nº 4.090/62)               SIM (art. 20, IV, Lei
EMPREGADO                                                                    GADO TIVESSE MENOS DE         (IX)                                                      n. 8.036/90)
                                                                                            UM ANO DE TRABALHO           
                                                                                            (art. 146, § único, CLT)


TÉRMINO DO                    NÃO (art. 487, CLT)               SIM (art. 147, CLT)                      SIM (art. 3º, Lei nº 4.090/62)               SIM (art. 20, IX, Lei
CONTRATO A PRAZO    (V)                                                                                                                                                             n. 8.036/90)


CULPA                               NÃO (Enunciado TST nº 14)   NÃO (Enunciado TST nº 14)         NÃO (Enunciado TST nº 14)               SIM (art. 20, I, Lei
RECÍPROCA                                                                                                                                                                                       n. 8.036/90)


EXTINÇÃO DA                  SIM (art. 487, CLT,                 SIM (art. 146, CLT)                      SIM (art. 3º, Lei nº 4.090/62)               SIM (art. 20, II, Lei
EMPRESA                           e Enunciado TST nº 44)                                                                                                                             n. 8.036/90)
                                            (VI)


FORÇA MAIOR OU         NÃO (arts. 487 e 501, CLT)    SIM (art. 146, CLT)                      SIM (art. 3º, Lei nº 4.090/62)               SIM (art. 20, I, Lei
CASO FORTUITO                                                                                                                                                                              n. 8.036/90)


ACORDO                          CONFORME O ACORDO        CONFORME O ACORDO              CONFORME O ACORDO                    CONFORME O ACORDO
 (I)


MORTE DO                        SIM (arts. 487 e                       SIM (art. 146, § único, e                SIM (art. 3º, Lei nº                               SIM (art. 20, I, Lei
EMPREGADOR                 483, § 2º, CLT)                        art. 483, § 2º, CLT)                       4.090/62 c.c. art. 483,                         n. 8.036/90)
 (II) (III)                                                                                                                                    § 2º, CLT)

 

                                   INDENIZAÇÃO DE 40%                                   SEGURO-DESEMPREGO                    INDENIZAÇÃO
                                                  SOBRE FGTS                                                  (XIV)                                                   ADICIONAL
                                                                                                                                                                                      (XVIII)

PEDIDO DE
DEMISSÃO                             
NÃO (art. 7º, I, CF/88 c.c. art. 10, I,                NÃO (art. 3º , Lei nº 7.998/90)            NÃO (art. 9º, Lei nº 7.238/84)
                                                  do ADCT)


DISPENSA SEM                       SIM (art. 7º, I, CF/88 c.c. art. 10, I,                 SIM (art. 3º , Lei nº 7.998/90)              SIM (art. 9º, Lei nº 7.238/84 e
JUSTA CAUSA                        do ADCT)                                                                                                                    En. TST nº 242 e 306)


DISPENSA COM                     NÃO (art. 7º, I, CF/88 c.c. art. 10, I,                NÃO (art. 3º , Lei nº 7.998/90)            NÃO (art. 9º, Lei nº 7.238/84)
JUSTA CAUSA                        do ADCT)


DISPENSA                                SIM (art. 7º, I, CF/88 c.c. art. 10, I,                 SIM (art. 2º, I, Lei nº 7.998/90)           SIM (art. 9º, Lei nº 7.238/84
INDIRETA                                 do ADCT, c.c. art. 483, CLT)                                                                                      c.c. art. 483, CLT)


APOSENTADORIA                 (X)                                                                   NÃO (art. 3º, Lei nº 7.998/90)             (XIX)


MORTE DO EMPREGADO     NÃO (art. 7º, I, CF/88 c.c. art. 10,
                                                  I, do ADCT)                                                    NÃO (art. 3º, Lei nº 7.998/90)             NÃO (art. 9º, Lei nº 7.238/84)
                                                  NÃO (art. 7º, I, CF/88 c.c. art. 10,


TÉRMINO DO                          I, do ADCT)                                                    NÃO (art. 3º, Lei nº 7.998/90)             NÃO (art. 9º, Lei nº 7.238/84)
CONTRATO A PRAZO          (XI)


CULPA                                     SIM, PELA METADE (art. 7º, I,
RECÍPROCA                           CF/88 c.c. art. 10, I, do ADCT e art.                NÃO (art. 3º, Lei nº 7.998/90)             NÃO (art. 9º, Lei nº 7.238/84)
                                                  484, CLT)


EXTINÇÃO DA                        SIM (art. 7º, I, CF/88 c.c. art. 10, I,                 SIM (art. 3º, Lei nº 7.998/90)               SIM, EXCETO EM CASO DE
EMPRESA                                 do ADCT)                                                                                                                    FORÇA MAIOR
                                                  (XII)                                                                (XV)                                                    (XX)


FORÇA MAIOR OU               SIM, PELA METADE (art. 7º, I,                     SIM (Lei nº 7.998/90)                          SIM (art. 9º, Lei n.
CASO FORTUITO                  CF/88 c.c. art. 10, I, do ADCT e art.               
(XVI)                                                   7.238/84)
                                                  502, II, CLT)                                                                                                               (XXI)


ACORDO                                CONFORME O ACORDO                                (XVII)                                                  CONFORME O ACORDO
(I)


MORTE DO                              SIM (art. 7º, I, CF/88 c.c. art. 10, I,                 SIM (art. 2º, I, Lei nº 7.998/90             SIM (art. 9º, Lei nº 7.238/84
EMPREGADOR                       do ADCT, c.c. art. 483, §                                 c.c. art. 483, § 2º, CLT)                       c.c. art. 483, § 2º, CLT)
(II) (III)                                     2º,CLT)
                                                  (XIII)

OBSERVAÇÕES GERAIS:

1)       Foram consideradas apenas as formas de extinção do contrato de trabalho não sujeitas a estabilidades previstas na legislação trabalhista,

2)       Também não foram considerados os empregados em condições especiais, tais como rural, doméstico, etc.;

3)       Os números destacados correspondem às observações específicas abaixo descritas.

OBSERVAÇÕES ESPECÍFICAS:

(I) A doutrina tem entendido, em sua grande maioria, que somente não podem ser objeto de acordo o saldo de salários e as férias vencidas. As demais verbas, desde que por livre disposição do empregado, podem ser objeto de acordo.

(II) Raciocínio aplicável apenas para os casos de morte do empregador pessoa física ou do empregador firma individual, posto que, nos demais casos, haverá sucessão do empregador.

(III) Tendo em vista que o art. 483, § 2º, da CLT, faculta ao empregado dar por rescindido o contrato no caso de morte do empregador firma individual, a situação torna-se idêntica à dispensa indireta.

(IV) A extinção do contrato de trabalho em razão de aposentadoria tem gerado muitas divergências na doutrina e nos tribunais, principalmente porque existem no ordenamento jurídico diversas formas de aposentadoria (por tempo de serviço, especial, compulsória, etc.). Primeiramente, não há convergência de opiniões sobre o efeito da aposentadoria, ou seja, se ela extingue ou não o contrato de trabalho, se há necessidade de pôr termo ao vínculo empregatício e iniciar um outro, caso o empregado continue trabalhando. Nas hipóteses em que o empregador exija o afastamento do empregado pela aposentadoria, deve prevalecer, s.m.j., o posicionamento pela obrigatoriedade de concessão do aviso prévio pelo empregador. Entretanto, se a iniciativa de afastar-se do trabalho pela aposentadoria é do empregado, não parece ser possível imputar ao empregador a obrigação de dar aviso prévio. Deve ser questionada, então, a obrigatoriedade do empregado conceder aviso prévio ao empregador. Como já mencionado, a questão é polêmica e admite diversas interpretações. O aviso prévio será devido ou não conforme a interpretação dada aos efeitos da aposentadoria no contrato de trabalho.

(V) Considerada apenas a hipótese de término do contrato na data estipulada contratualmente. Caso haja antecipação do termo final a situação deverá ser analisada de forma diferente, de acordo com a iniciativa de rompimento do contrato (empregado ou empregador), bem como a existência ou não de justa causa. Nas hipóteses em que o contrato prevê cláusula que assegure a antecipação do termo final, o contrato deverá ser considerado por prazo indeterminado (art. 481, CLT). O En. TST nº 163 determina o pagamento de aviso prévio se o contrato de experiência for rescindido antecipadamente.

(VI) Equipara-se à dispensa sem justa causa.

(VII) As férias vencidas são sempre devidas em qualquer situação, mesmo na dispensa com justa causa.

(VIII) Observar o mesmo raciocínio da nota IV.

(IX) Entendimento pacificado na doutrina e na jurisprudência no sentido de que a morte do empregado dá direito aos seus sucessores de receber a gratificação natalina proporcional.

(X) Observar o mesmo raciocínio da nota IV.

(XI) Se o termo final do contrato for antecipado por iniciativa do empregador será devida a indenização prevista no art. 479 da CLT, além da multa de 40% sobre o FGTS

(XII) Em caso de extinção da empresa por motivo de força maior a indenização será devida pela metade (art. 502, II, CLT).

(XIII) Conforme já mencionado na nota (III), o entendimento é baseado no fato de que, segundo determina o § 2º do art. 483 da CLT, o empregado pode dar por rescindido o contrato laboral em caso de morte do empregador firma individual. Referido parágrafo está contido no art. 483 da CLT, que trata da rescisão indireta, razão pela qual entende-se que o empregado faz jus à indenização, por equiparação à rescisão indireta. Parte da doutrina, entretanto, sustenta o não cabimento da indenização em caso de morte do empregador pessoa física, por não se tratar de nenhuma conduta do empregador que pudesse justificar a rescisão indireta.

(XIV) Análise feita apenas quanto ao direito à percepção do seguro-desemprego segundo a espécie de extinção do contrato de trabalho. Obviamente, para fazer jus ao recebimento do seguro-desemprego, deverá o empregado cumprir os demais requisitos legais.

(XV) Embora a Lei nº 7.998/90 não preveja expressamente a hipótese de concessão de seguro-desemprego ao empregado dispensado em razão extinção da empresa, parece razoável a concessão do benefício, já que a hipótese muito se assemelha à dispensa sem justa causa.

(XVI) Seguindo o mesmo raciocínio da nota anterior, não parece ser justo penalizar o empregado por causa de extinção do contrato de trabalho para a qual não tenha ele contribuído.

(XVII) Parece razoável que acordo seja feito de forma a possibilitar o empregado ao acesso do seguro-desemprego, sem que haja com isso burla à lei.

(XVIII) Indenização adicional prevista na Lei nº 7.238/84, devida ao empregado dispensado no período de 30 dias anterior à data de sua correção salarial. Segundo a doutrina e jurisprudência, embora tenha sido criada em períodos de altas taxas de inflação, ainda tem aplicação.

(XIX) Observar o mesmo raciocínio da nota IV.

(XX) Há entendimento predominante no sentido de que a força maior desonera o empregador. Também parece válida a interpretação no sentido de que a indenização seja devida pela metade, por força do art. 502, II, da CLT.

(XXI) Como mencionado na nota anterior, tem prevalecido o entendimento de que a força maior desobriga a empresa.